Desporto

PRO NACIONAL

Vieira SC vence povoenses com quatro vieirenses na equipa

          
PRO NACIONAL

Num derbie disputado com intensidade, principalmente na primeira parte, o Vi­­eira SC somou os primeiros pontos no campeonato pe­­rante o vizinho Porto D´Ave. Orientado por Nelson Martinho que fez alinhar mais quatro viei­ren­­ses: Igor, Jó Vieirinha, Va­­­­­­­ran­da e Russo. Motivos su­­ficientes para que o pú­bli­­­­co se desloca-se ao Mu­ni­­cipal, em bom número, e não deram por mal empregue o tempo.


Vieira 2 Porto D´Ave 1
Jogo no campo Municipal. Domingo, 15 de Setembro.
Peitaça; Neno, Gil, Élio e João Ribeiro; Bruno Rocha, Nani, Lukman, Guerra (Ro­chi­nha), João Santos (Mo­ta) e Luca (Fabinho).

Nos dois jogos anteriores, em Forjães e em casa com o Cabreiros, o Vieira SC de­pois de estar a vencer per­mi­tiu a reviravolta, des­ta vez deu-se o contrário. Ainda es­tavam no cha­ma­do es­tudo mútuo, e João Santos des­caí­­do na direita e com Igor fo­ra do lance, rematou “pren­­sado” contra o corpo de um defesa. Numa má re­posição da bola em jogo do Vi­eira SC pe­la esquerda, o Porto D´Ave aproveitou-se e Russo à boca da ba­liza concluiu com êxito um cruzamento da direita. Es­tavam decorridos 24 minutos de jogo e já com uma alteração forçada (Mo­ta entrou para o lugar de João San­tos), a equipa viei­rense subiu no terreno à bus­­ca do empate, esteve per­to depois de uma trian­gu­­lação pela esquerda com Luca a ceder a bola a João Ribeiro e este na área a cruzar para a intercepção de um defesa povoense. Na se­­quência de um pontapé de canto a favor do Vieira SC, uma tran­­­sição rápida co­locou Jó Vieirinha de frente ao guarda-redes Peitaça. Com a sua experiência “adi­ou” a de­cisão do jogador vi­eiren­se da época pas­sa­da até se perder a ocasi­ão so­be­­rana de golo. Um mo­men­to chave para o des­fe­cho do re­sul­ta­do, porque a partir daí o Vi­eira SC cresceu e aos 42 mi­nutos João Ribeiro na marcação de um li­vre esta­be­­leceu o empate. Em cima do intervalo, Nani na pequena área após cru­za­mento da esquerda, sem deixar cair a bola no sintético re­ma­tou por cima do travessão.
No segundo tempo, como era compreensível devido ao calor, a fadiga foi-se apo­de­rando dos jogadores, baixou a intensidade e aumen­ta­ram as quezílias. O Porto D´Ave teve um cabecea­mento a rasar a trave da ba­li­­­­za de Peitaça, atleta que vestiu de xadrez na época pas­sada e aos 24 minutos num livre apontado por Mo­ta para a área, Élio de cabe­ça colocou a bola no ân­gu­lo da baliza defendida por Igor. Um golo de belo efeito.
Numa interpretação exa­ge­rada do árbitro, Nani viu o segundo cartão amarelo quando Fabinho se prepara­va para entrar em jogo.
2019-10-07


Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário