Desporto

PENSAMENTO DESPORTIVO

Cindy Konig: licença para marcar

          

A alemã Cindy König é uma das caras novas para o ataque do SC Braga versão 2020/21. Aos 26 anos, a avançada vai pela primeira vez vestir uma camisola que não a do Werder Bremen, clube com o qual conquistou o título de campeã da segunda divisão alemã em 2019/20.


Apesar de ser uma jogadora de ataque, Cindy König não descarta as tarefas defensivas. Ainda que o jogo aéreo não seja o seu ponto forte, dada a baixa estatura (159 cm), a atleta não foge ao choque físico que tão ligado está ao ADN das principais divisões alemãs.
Apesar de também poder jogar no centro do ataque, é quando joga pelas faixas que a disponibilidade de König para defender se torna mais visível. A atleta acompanha regularmente as incursões da lateral adversária e não deixa que a sua lateral fique numa situação de desvantagem numérica. Por tudo isto, König é uma jogadora que se desgasta imenso ao longo dos encontros e, em Bremen, era frequente vê-la ser substituída no decorrer da partida.
No ataque, Cindy König tem características que podem vir a ser muito úteis ao SC Braga. A exploração da profundidade é um dos pontos fortes de uma avançada que, não sendo uma “9” de área, oferece muita mobilidade e velocidade ao ataque. König sabe como ganhar as costas da linha defensiva adversária, apoiando-se na velocidade, uma das principais armas que possui no seu arsenal e que a torna também uma ameaça na transição.
Numa equipa que gosta de praticar um futebol atrativo, com a bola junto à relva, como é o caso do SC Braga, König pode vir a ser uma jogadora muito interessante pela forma como se envolve na manobra ofensiva da equipa. Para além disso, é uma jogadora capaz de utilizar os dois pés e, como também os números o indicam, letal na hora de finalizar.
Em Cindy König, o SC Braga ganha uma avançada muito diferente da norte-americana Hannah Keane e mais perto de, por exemplo, Andreia Norton. Uma atleta que não impressiona pela dimensão física que traz ao jogo, mas que se destaca pelo toque refinado, pela velocidade e pela capacidade de ser uma avançada móvel, mas que nunca perde o faro pela baliza.
Daniel Sousa
2020-07-14


Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário