Do Cávado ao Ave

ROSSAS

Reencontros

          

Chega Agosto e a nossa terra toma um ritmo diferente: a alegria do regresso a casa de emigrantes é contagiante, e abrange toda a comunidade.
As festas sucedem-se, ora no respeito pela calendarização litúrgica, ora alterando-se, para oferecer aos visitantes periódicos a oportunidade do convívio.
A festa do Padroeiro, Divino Salvador, teve lugar no dia próprio em que a Igreja celebra a Transfiguração do Senhor. Destacamos a Missa Solene, Sermão e Procissão, sem dispensar o convívio popular onde não faltou a música e as danças. Já a festa em honra de S. Brás, celebrada com 5 meses de atraso do calendário litúrgico, foi segundo a tradição, a festa dos emigrantes, essencialmente popular.


Abriu o ciclo de festas, em 29 de Julho, a festa de Santa Marta, padroeira do lugar que lhe deve o nome. Foi uma festa religiosa, mas marcante, com a bênção do Cruzeiro novo, com a ...

A sua assinatura expirou, ou não está autenticado com o seu login e password!
Clique para escolher uma assinatura; ou no caso de já ter uma assinatura por favor autentique-se com o seu login e password.


Comentários

Comentar esta notícia

Nome

Email

Comentário


Verificação de palavras
Escreva os caracteres que vê abaixo
R3KC1


    

Ainda ninguém comentou esta notícia!