Do Cávado ao Ave

GUILHOFREI

Junta recebe “prestações voluntárias”

          
GUILHOFREI

A sessão ordinária da Jun­­ta de Freguesia de Gui­lho­­­frei decorreu pelas 21 ho­ras de 4 de Outubro.
Presentes, por parte do pú­­­blico, estiveram cerca de seis pessoas e, mais uma vez, fez-se notória a não com­­­parência do Cabeça de Lista da oposição.
Após a leitura, apreciação e aprovação, por unani­mi­dade, da respectiva acta, fo­ram apresentados diversos trabalhos do executivo da Jun­ta, de Julho a Setembro. Obras com manilhas, por­tão escolar, desentupi­men­tos de fontanários, limpezas várias de valetas, mi­mosas, etc., com a ajuda do Mu­nicí­pio de Vieira, tendo tam­bém, recebido desta a co­­la­­­bora­ção para o alca­troa­me­nto viário em Bar­rei­rô. Também a estrada de Vi­­la Boa foi alcatroada. Obra no­tá­vel que mereceu consideração do executivo.
A Junta, como bem nos ha­­bituou, mimou as crianças do A.T.L., com um Pik Nik e cinema, a fim de ter­mi­­nar em bem mais um ano pós le­ctivo. Na entrega de diplomas do Curso de Inglês, também houve festa.


Os Jovens Voluntários pa­­­­­­ra dinamizarem a zona flu­­­vial, são um objectivo de con­tinuidade por parte da Jun­­ta. É sabido que foram os novos heróis, na época bal­­­near, por salvar uma vi­da humana. Nunca é demais relembrar os feitos no­bres que muito honram a nossa terra, sendo ainda mo­­­tivo de notícia, a bem su­cedida “tradicional desfo­lha­da”.
Também é de destacar a “boa notícia” de um Museu Pa­roquial para a nossa Fre­gue­sia. Proposta feita pelo nosso executivo, a fim de en­­­­ri­quecer com arte sacra e afins o Museu Paroquial, junto ao adro da igreja, único no concelho, há muitos anos inaugurado.
A Junta de Freguesia pro­mo­veu um dos passeios ao Santuário de Fátima, ade­rin­­­do muitos fiéis, enchendo dois auto-carros; participou na homenagem ao Sr. Pe. Luis Jácome, Director des­te Jornal, (do qual tenho honra de ser colaboradora), realizada no Auditório Municipal, aquando da celebração do seu Jubileu Sa­cer­do­tal.
Por último, mas não sendo o menor dos trabalhos, Fernando Castro, presidente da Junta de Freguesia, sur­­­preendeu-nos com a no­tícia de que estava a chegar a esta reunião, vindo de ajudar a combater um in­cên­dio, di­fícil, na Rua da Groba, desta freguesia. É de para­benizar estas atitudes, gestos ou comportamentos nobres, não por razões polí­ti­cas e sim, por razões sociais e humanas, divulgando a quem está lá fora, que é pos­­sí­vel haver políticos com um coração voluntário, de bem querer e espírito labo­ral, colocando suas vidas em risco, se necessário, em prol do outro, ao invés de es­­tarem na sua zona de con­­­forto.
A Junta abdica da metade da água do Sr. José Gon­çal­ves Carneiro, justificando que não é viável, sen­do muito dispendioso.
Mais uma admirável atitude deste executivo e não só. A doação de 250.00€ pa­ra a Cruz Vermelha de Ros­­­sas, tendo a votação por una­­nimidade.
Quanto à intervenção do pú­­blico, é deveras interes­san­te informar que há quem se ofereça, e insistentemente, para trabalhar gra­tui­­ta­men­­te. Caso caricato, mas já na sessão anterior a si­tua­­­ção foi idêntica. Sinto-me tentada a divulgar o autor de tan­ta “prestação voluntária” socialmente gratuita, mas não será neces­sá­rio. Con­cluin­­do que, não é de “bom senso comum”, o executivo des­pedir uma equipe cre­dí­vel, coesa em dois mandatos consecutivos, para a su­bstituir por “ofer­tas inválidas”, fazendo esta questão de apresentar a factura de 125.00€ como confirmou o Te­­soureiro em resposta à dita “prestação voluntária”.
Marisa Pombares
2018-10-29


Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário