Do Cávado ao Ave

CANIÇADA

Cancelada a festa da Senhora do Rosário

          

As festividades em honra da Senhora do Rosário, que es­te ano se realizariam nesta paróquia em 13 e 14 de Junho, e não em dia de Pentecostes, por coincidir com a pere­gri­nação Arciprestal de Vieira do Minho, foram canceladas, tal como tem acontecido e continuará a acontecer, pa­ra já até Outubro, a todas as manifestações religiosas do país devido à pandemia.


Apesar do facto, a celebração da Eucaristia dominical em dia de Pentecostes, (31 de Maio) em que a Igreja celebra o Es­pírito Santo que veio sobre Maria e os apóstolos reu­nidos no Cenáculo em oração, não esqueceu a Senhora do Rosário que nesta freguesia tem devoção multisse­cular.

Preparado o regresso às celebrações religiosas
Em ordem à preparação necessária, aconselhada pelas ori­entações do episcopado, face às novas exigências da di­rec­ção-geral de Saúde e outros factores que vão con­di­cionar o funcionamento da assembleia de fiéis e sua articu­lação ministerial nas celebrações religiosas dentro ou fora das igrejas, também nesta freguesia, o pároco reuniu com o Con­se­lho Pastoral para acertar pormenores no primeiro dia do regresso à celebração plena da Liturgia com a pre­sença e participação do Povo de Deus.
Para além do distanciamento social e físico (não obriga­tório para os que moram na mesma casa) os fiéis terão de se submeter a mais duas regras de protecção imperativas: higienização das mãos e o uso de máscaras dentro da igreja. E esta é a maior dificuldade que vai afastar muita gente de vir á igreja. Não nos referimos ao desconforto de co­brir a face. A dificuldade maior é psicossocial: a assembleia é, por excelência, lugar de encontro e de reconhecimento, for­ça de comunhão e antídoto. Poderoso contra o isolamento e a solidão. Com o rosto coberto, isso torna-se mais di­fícil, senão mesmo contraditório do encontro que deve tes­temunhar uma assembleia de fiéis.
2020-05-28


Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário