Do Cávado ao Ave

RUIVÃES

Incongruência de um filho

          

No Ruivães da minha infância (décadas de quarenta/cinquenta do século passado), o respeito pelos mais velhos e mais ainda pe­los pais e avós, era tão rigoroso que qualquer deslize dava direito a um tabefe.


Longe de mim tratar meu pai (ou o meu avô) por “tu”, co­mo hoje é usual. Nes­­se tempo, logo que via o meu progenitor pedia-lhe; « -Deite-me a sua benção, meu pai! », e na mão este ...

A sua assinatura expirou, ou não está autenticado!
Escolha agora uma assinatura; ou se é assinante, autentique-se para ler artigo completo.

Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário