Igreja

D. Tolentino Mendonça nomeado cardeal

          
D. Tolentino Mendonça nomeado cardeal

O Papa Francisco anun­­­­­ciou a 1 de Setembro a nomeação do ar­ce­­­­­bispo português D. Jo­­sé Tolentino de Mendonça, responsável pe­lo Arquivo Secreto do Va­­­ticano e bibliotecário da Biblioteca Apostólica Vatica­nista, como novo membro do Colégio Car­di­­na­lício. O consis­tó­rio para a criação de 13 novos car­deais, entre os quais dez com direito a voto na eleição do Papa, está marcado para 5 de Outubro, no Vaticano.


Com a criação cardina­lí­cia de D. Tolentino, Portugal passa a ter, pela primeira vez na história, cinco cardeais, três dos quais nomeados no pontificado da Papa Francisco. O arcebispo D. Tolentino foi o Segundo dos 13 a ser anuncia­do por Francisco, após a recitação dominical da oração do Angelus no primeiro domingo de Setembro, e após ter ficado pre­so num elevador durante quase meia-hora.
O Papa Francisco anunciou, no Vaticano, a criação de 13 novos cardeais, 10 de­les com menos de 80 anos e, por isso, eleitores, no Consistório Público Ordinário do próximo dia 5 de Outubro. 
“Rezemos pelos novos car­deais, para que, confirmando a sua adesão a Cristo, me ajudem no meu mi­nis­tério de bispo de Ro­ma, para o bem de todo o santo povo fiel de Deus”, apelou o Papa. Francisco.
D. Tolentino de Mendonça, natural da Madeira, tem 53 anos, é doutorado em Teo­logia Bíblica e foi orde­na­do padre em 1990. É actualmente Arquivista dos Arquivos Secretos do Va­ti­cano e Bibliotecário da Biblioteca Apostólica Va­tica­na, funções para o qual foi nomeado em Junho de 2018, ao mesmo tempo que foi nomeado arcebispo titular de Suava depois de orientar nesse ano, em Roma, o retiro de Quaresma do Papa e dos membros da Cúria Romana. Até aí foi pro­fessor e vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa, assim co­mo director da Faculdade de Teologia. Foi nomeado para dois mandatos como consultor do Conselho Pon­ti­fício da Cultura e tem várias obras de poesia publi­cadas, algumas delas premiadas.
A relevância do novo cardeal como “filósofo, pensador, escritor, professor e hu­manista”, foi sublinhada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sou­sa, após o anúncio da nomeação, tendo já confirmou a sua presença no Va­ticano a 5 de Outubro.
D. Tolentino de Mendonça passará a ser o segundo membro mais jovem do Co­légio Cardinalício, logo após D. Dieudonné Nzapa­lain­ga, ar­cebispo de Ban­gui, na República Centro-Africana, de 52 anos. D. An­tónio Mar­to foi o último português a re­­ceber o barrete cardina­lí­cio, em 29 de Junho de 2018.

Eleição do novo Pa­pa nas mãos de três portugueses

Com a elevação a cardeal de D. Tolentino, Portugal tem pela 1.ª vez, para além de cinco cardeais, três com menos de 80 anos e direito a voto num conclave de reunião de purpurados para a eleição do Papa. D. Manuel Clemente tem 71 anos e D. António Marto, 72. Fora dos eleitores, mas com a pos­sibilidade de serem eleitos, estão D. José Saraiva Mar­tins (87 anos) e D. Manuel Monteiro de Castro (81).
2019-09-16


Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário