Igreja

Estátua de D. António Barroso homenagem à Missionação Portuguesa

          
Estátua de D. António Barroso homenagem à Missionação Portuguesa

O presidente da Comissão Episcopal Missão e No­va Evangelização afirmou, na inauguração da estátua de D. António Barroso, que o monumento à missiona­ção portuguesa é um “dever de justiça”.
“Este monumento traz-nos à memória a história ten­­sa entre libertação, sal­va­­­ção e inculturação”, dis­se D. Manuel Linda. O bispo do Porto referiu que os mis­­sionários são os “maio­res fomenta­do­res da verda­dei­ra cultura da glo­ba­li­­za­ção”, “expressões su­bli­mes do género humano” e os cons­­­trutores do “homem no­vo”, a “exemplo de Je­sus Cristo”.
“É preciso resgatar do esquecimento todas estas dimen­sões, trazer a lume todas estas realizações, dar voz a quan­tos, por esta razões, sofreram a solidão, a doença, o martí­rio e a própria morte”, afirmou.


Para D. Manuel Linda, o monumento a D. António Barro­so deve constituir um desafio à Igreja na “oportunidade do re­forço de um anúncio de esperança” e à sociedade ci­­vil e po­líti ...

A sua assinatura expirou, ou não está autenticado!
Escolha agora uma assinatura; ou se é assinante, autentique-se para ler artigo completo.

Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário