Igreja

Bispos partilham alertas das Misericórdias e Instituições de Solidariedade

          
Bispos partilham alertas das Misericórdias e Instituições de Solidariedade

O porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) disse em Fátima que os bispos católicos estão a acompanhar as preocupações das Misericórdias e Instituições de Solidariedade sobre a sua sustentabili­dade.
“As misericórdias fazem um excelente trabalho e há preocupação para que es­se trabalho seja levado pa­ra a frente”, preocupação que se estende às IPSS, referiu aos jornalistas o padre Manuel Barbosa, após a reunião mensal do Conselho Permanente do CEP, no passado dia 10.


“É um assunto recorrente: preocupa-nos quando não são cumpridas obrigações e estas instituições que servem as pessoas não têm os meios que são prometidos, que estão consignados para esse fim”, acres­centou o responsável.
No último sábado, (7 de Dez) o presidente da União das Misericórdias Portuguesas lamentou a falta de cumprimento, por parte do Estado, na comparticipação ao setor social.
Antes, a Federação dos Centros Sociais e Paroquiais alertou para o impacto do aumento do salário mínimo; o presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) pediu que a atuali­za­ção dos acordos de cooperação acompanhe esse aumento salarial.
Na conferência de im­pren­sa desta tarde, (10/Dez.) o secretário da CEP abordou ainda o debate sobre a legalização da eutanásia, elogiando o mais recente documento da Conferência Episcopal Espanhola sobre o tema, em defesa da vida, “com linguagem bas­tante acessível”.
O padre Manuel Barbosa diz que está a ser desenvolvido um trabalho “em conjunto” com a sociedade civil e outras religiões, na luta contra a eutanásia.
“Estamos de alma inteira nesta causa, que é uma causa pela vida, até à etapa final, que é preciso acom­panhar, proteger, acolher”, precisou.
O porta-voz da CEP falou numa “feliz coincidência” pela realização de um grande encontro em Portugal, promovido pela Academia Pontifícia para a Vida, da Santa Sé, a 16 e 17 de março de 2020, sobre os cuidados continuados.
Questionado sobre a COP25, o padre Manuel Bar­bosa disse que a Igreja Católica em Portugal está em “sintonia plena” com o Pa­pa Francisco, na defesa de uma “ecologia integral”, desejando que, neste campo, a voz da Igreja seja “mais escutada”, em parti­cu­lar a encíclica Laudato Si’ (2015).
CB/OC -Ecclesia
2019-12-12


Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário