Igreja

Guiar com bom senso

          

Em 2015, o Papa Francisco publicou a sua segunda Car­­ta Encíclica, sobre o cuidado que nos deve merecer a casa comum. Deixou um alerta muito sério, recomenda­ções, sugerindo mudanças de hábitos que tem por ob­je­ti­vo preservar o bem-estar de quantos habitam a Terra – nos­sa “Casa comum”.
Se os governantes de todo o mundo tivessem dado ou­­vidos aos conselhos do Papa!... Se se tivessem promo­vi­do análises, reflexões e debates… as cimeiras sobre o am­­biente, a sustentabilidade, alterações climáticas, teriam alcançado o êxito que continuamos esperando.


A Laudato Si’, é um verdadeiro manual de boas práticas, capaz de inspirar acordos e mudanças de mentalida­des.
A Cimeira de Madrid continuará o debate e refletirá so­bre acordos, mas traz-nos algo novo: a presença duma adolescente, Greta Thunberg (visionária no bom sentido) que tem um sonho utópico’– o de ser capaz de salvar o Planeta com as suas ideias.
Sendo um bom ideai, carece de argumentos que o sus­tenham. E eles apareceram como por encanto. As for­ças políticas, ditas de esquerda, viram na adolescente sueca, a voz que podia protagonizar, argumentos gastos.
Ao cuidar da – “Casa comum” devemos começar por cui­dar de quem a habita. Quem cuida de Greta, com uma adolescência magoada pelos crimes ambientais de so­cie­dades perversas? Quem cuida de lhe proporcionar as alegrias, sonhos e desafios que a vida em sociedade (na família, escola, entre amigos) só tem possibilidade de lhe oferecer numa adolescência feliz, antes da juven­tu­de, já tão próxima?
Tenho pena de Greta a quem não ensinaram, nem dei­xa­ram ser menina.
Enquanto as forças políticas se esgrimem para provei­to próprio, tiremos da estante a Carta Encíclica do Papa e pro­curemos aprender o que ela contém.
M. Leonor Coelho
2019-12-12


Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário