Igreja

Templo da Senhora da Peneda Santuário Diocesano

          
Templo da Senhora da Peneda Santuário Diocesano

O bispo de Viana do Castelo, D. Anacleto Oliveira, elevou o templo da Senhora da Peneda (Arcos de Val­devez), situado em pleno coração do Parque Nacional Pe­neda-Gerês, a San­tuá­rio Diocesano. 


No decreto em que anuncia a decisão, enviado à Agência ECCLESIA, o prelado aponta as razões que levaram à elevação “do templo e o conjunto patri­mo­­nial ar­quitetónico de serviços e apoios ao acolhimento” a santuário dioce­sano, um “dos mais venerados em to­do o Alto-Minho, estendendo-se o seu prestígio e influência à vizinha Re­gião Autónoma da Gali­za, no Reino de Espa­nha”.
O novo santuário fica localizado a Paróquia do Divino Salvador da Gavieira (Arci­pres­tado de Arcos de Val­de­vez) e existe uma “especial antiguidade desta invocação “–Senhora da Pe­ne­da – que a representa en­quanto espaço de acolhimento de peregrinos” que ali de deslocam, “encon­tran­do, por meio da contemplação de Maria, con­for­to humano e espiritual, particularmente em tempos delicados de crise e peste, especialmente tocados pela graça e misericórdia divinas”, escreveu o bispo de Via­­na do Castelo.
A celebrar o seu oitavo centenário (05 de agosto de 1220), o santuário começou com uma “simples ermida edificada por sugestão da vidente aos habitantes da Ga­vieira”, a partir da qual se foi criando “uma dinâmica espiritual e devocional que se es­pe­lha na evolução das dimensões do próprio templo, ao longo dos séculos”, refere o decreto
O Santuário da Senhora da Peneda assumiu “uma relevância” que se estendeu a nível nacional e até internacional pela presença “de peregrinos notáveis como a Rainha Santa Isabel, São Pedro Gonçalves Telmo, Beato Gon­çalo de Amarante e São Bartolomeu dos Mártires” que ali invocou a “especial pro­teção de Maria contra a terrível peste que assolava a Arquidiocese de Bra­ga, de que era Pastor, a meados do século XVI”
O documento recomenda também que no santuário “se arquivem, conservem e guardem em segurança todos os documentos respei­tantes à história e vida do Santuário, os ex-votos de arte popular e da piedade do povo de Deus, as publicações referentes ao Santuário, assim como os subsídios pastorais e litúrgi­cos relativos à vida e celebrações ali decorrentes”.
O padre César Manuel Araújo Maciel e o padre Raul de Oliveira Fernandes foram nomeados reitor e vice-reitor, respetivamente, do Santuário de Nossa Senhora da Peneda.

Da história do Santuário

Segundo um texto original do escritor vianense An­tó­­nio Afonso do Paço, reco­lhi­­­do pelo Padre Manuel Ri­bei­ro Alves, naquele lugar da Pe­ne­da da freguesia da Ga­­vi­ei­ra, “ter-se-á verificado uma aparição da Virgem, em 5 de Agosto de 1220, a uma pequena pas­to­ra. Uns sé­culos antes, por volta dos anos 716 ou 717 os cristãos, fugidos ante a invasão dos sarra­cenos, terão deixado uma imagem entre as enormes fragas da Serra da Pe­ne­­­da.
Implantada uma ermida no século XIII, o culto de Nossa Senhora da Peneda aumentou gradualmente em Portugal e na Galiza (Espa­nha), afluindo largos milhares de romeiros ao longo do ano, mas muito especialmente na primeira semana de Setembro.
O Templo enquadra-se har­­­moniosamente em ma­jes­­toso trecho da serrania, ten­do ao longo do pictórico va­le vinte capelas onde se evocam as cenas bíblicas de major intensidade, precedida de um átrio com as imagens do quatro evange­lis­tas. Cul­mina, este invul­gar san­tuá­­­rio, por um condigno pór­­tico e escadaria com pa­ta­mar onde se ergue impo­nen­te coluna encima­da pele imagem de S. Mi­guel Arcanjo.
Foi nos últimos três séculos que o Santuário beneficiou de maior impulso, sob os pontos de vista espiritual e materialmente. A igreja foi terminada em 1875.
2020-04-30


Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário