Política

O que lá vai, lá vai!

          

O povo diz que o que lá vai, lá vai. E quando as pessoas rivalizam entre si, também já a minha mãe dizia: “não te metas em guerras; dá-lhes o caminho todo.”
O primeiro aforismo fala-nos do perdão, do esqueci­men­to das ofensas; o segundo conselho resume-se assim: se não queremos guerras não as devemos provocar nem as devemos acolher; desta forma, um dos segre­dos é fazer-se de parvo e ficar a ver. Quando as coisas passam das marcas ou viramos as costas ou damos mes­mo o caminho todo ou então vamos ao combate da “con­ver­sa da treta”.


Basta ver o parlamento, as argumentações e contra-ar­gumentações, num debate quinzenal e avaliar que não é bom darmos o caminho todo porque esse caminho todo po­de virar-se contra ...

A sua assinatura expirou, ou não está autenticado!
Escolha agora uma assinatura; ou se é assinante, autentique-se para ler artigo completo.

Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário