Autarquia

Feira da Ladra atraiu milhares de forasteiros, apesar do frio e da chuva

          
Feira da Ladra atraiu milhares de forasteiros, apesar do frio e da chuva

A Feira da Ladra de Vieira do Minho mostrou, mais uma vez, aos milhares de fo­rasteiros, o potencial eco­nó­mico do concelho nas vertentes da agricultura e pecuária, da floresta e do turismo. Apesar do seu adia­mento para o segundo fim-de-semana de Outubro, devido às eleições legis­la­tivas e ainda à chegada do frio e da chuva que marcaram sobretudo os dois últimos dias das festas, o Domingo e a Segunda-feira, o que obrigou a cancelar algumas actividades como a actuação das bandas filarmónicas e a corrida de cavalos a galope, as festas tiveram este ano o bri­lho e a participação habitualmente aguardada.


Na cerimónia da abertura da feira, que contou com a presença do director geral de Alimentação e Veterinária, Fernando Bernardo, o presidente da Câmara Mu­nicipal António Cardoso apresentou o programa do evento como uma mostra “direccionada para a valorização e promoção do grande potencial económico do concelho para a divulgação dos usos e costumes de Vi­eira do Minho, um concelho com grandes potencia­li­dades na agricultura, na floresta e no turismo”. Por seu lado, o director geral de Alimentação e Veterinária sublinhou a necessidade de ini­ciativas no mundo rural promovendo a fixação dos jovens de modo a “evitar a desertificação do interior do país”.
A sessão de abertura das Festas da Feira da Ladra, que este ano colocou o ca­va­lo garrano no centro do pro­grama, ficou marcado pelo lançamento do IV volume da colecção “O livro das raças” obra centrada na raça autóctone do gar­rano, existente na região de Entre-Douro e Minho.
A exposição e concurso de bovinos, ovinos e capri­nos e a feira de produtos lo­cais (castanha, mel, licor, noz, feijão, batata, cebola,...) conjuntamente com do­ces, fumeiro e algum ar­te­sanato, estiveram em espaço reservado aos produtores do concelho de Vieira.
As chegas de bois, que ti­veram lugar durante três dias, foram novamente “a di­versão” que mais público atraiu ao Parque dos Moinhos. De entre os artistas em palco a maior afluência de forasteiros verificou-se na noite de Sábado com a actuação da Banda Impak­tus e Dj`s, e sobretudo a dupla dos irmãos Rosado “Anjos” que em duas horas comemoraram os seus vinte anos em palco, passando em revista todos os seus êxitos mu­sicais. Também cabeças de cartaz musical, Ana Malhoa e Sons do Minho, atrairam nas noites de domingo e se­gunda-feira, resepectiva­mente, milhares de espectadores.
O cortejo etnográfico, ape­sar da chuva persistente que caiu durante todo o dia de domingo, cumpriu, igualmente o programa cul­tu­ral e recrea­tivo das festas com a participação de 17 freguesias.
2019-10-29


Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário