Autarquia

Distritos de Braga e Viana recebem 173 milhões por conta do Norte 2020

Câmara de Vieira Minho entre as que mais investiram

          

As 24 câmaras municipais dos distritos de Braga e de Viana do Castelo rece­beram 173 milhões de eu­ros por conta das candida­tu­ras aprovadas ao Programa Operacional Regional do Norte (Norte 2020).
Os dinheiros europeus do Norte 2020 já financiaram a realização de investi­mentos em obras públicas no valor de 356 milhões de euros. O Município de Bra­ga foi o que mais apoios financeiros europeus conseguiu assegurar para 21 pro­jetos, tendo encaixado um fi­nanciamento de 23 milhões 696 mil 514 euros, mon­tante que ultrapassou o valor afeto ao “investi­men­­to elegível» global, que foi de 17 milhões 977 mil 530.


Os Municípios do Ave e do Alto Minho já receberam 118 milhões por conta do Nor­te 2020, que poten­cia­ram investimentos públicos de 132 milhões de euros. O maior volume de investimentos foi feito pelas oito câmaras municipais do Ave, mas o apoio financeiro co­mu­nitário mais volumoso foi para os 10 concelhos do Alto Minho.
O saldo global dos inves­ti­mentos das autarquias de Cabeceiras de Basto, Fafe, Guimarães, Mondim de Bas­to, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Vila Nova de Famalicão e Vizela foi de 67 milhões 282 mil 440 eu­ros, tendo assegurado um apoio de 57 milhões 536 mil 891 euros do Norte 2020.
O Município de Fafe rece­beu 7,61 milhões para 16 pro­jetos no valor de 9,16 mi­lhões, enquanto que a Câ­mara Municipal da Póvoa de Lanhoso foi financiada com 3,447 milhões para os 11 projetos de in­ves­timento no valor de 4,086 milhões.
Vieira do Minho está entre os municípios do Ave que mais investiram. Os 15 projetos que candidatou ao Norte 2020 asseguraram apoios de 5,49 milhões de euros para um investimento de 6,47 milhões.
Os dados foram avançados pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Norte, num relatório em que a instituição dá conta que «o apoio ao investimento municipal tem permitido a construção de/ou modernização de infra-estruturas coletivas».
2019-11-27


Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário