Reportagem

Casa do Povo requalificada
Sede de Junta e Escola de Música

          
Casa do Povo requalificada 
<br>Sede de Junta e Escola de Música

António Cardoso, pre­si­dente da Câmara Municipal, acompanhado do presidente da Junta de freguesia de Vieira do Minho, Hum­berto Cruzi­nha descerraram em 23 de Fevereiro a placa que assi­na­la a requa­li­ficação do edi­fício da Ca­sa do Povo. A obra que custou cerca de 300 mil eu­ros, cofinanciada em 85% pelo Programa Opera­cional Regional Norte, Por­tu­gal 2020, permitiu instalar no piso superior o Polo do Conservatório de Musi­ca de Guimarães e no rés-do- chão, a sede da Junta de Freguesia e o Centro de Convívio e Lazer. O jardim nas traseiras do edifício tam­bém foi objecto de uma intervenção.
A cerimónia de inauguração começou no exterior do edifício com um grupo dos cinquenta alunos do ensino articulado de música do Po­lo do Conservatório de Mú­si­ca de Guimarães a interpretarem o “Hino de Vieira” e o Hino da Alegria” para os convidados, onde se destacavam o Executivo Municipal, a presidente da Assem­bleia de Freguesia e Provedora do Idoso, Joaquina Ma­ria Coelhoso, outros mem­bros da Assembleia e o presidente da Sociedade Musical de Guimarães, Ví­tor Matos.


Antes de descerrar a placa, António Cardoso, presidente da Câmara referiu que aquela obra resultou de “um acordo com a Segurança Social ao transferir os ser­viços para o edifício dos Pa­ços do Concelho” e agra­de­ceu aos “empreiteiros vi­ei­renses Marinho e Rodri­gues e ANMS Unipessoal pelo trabalho realizado”. Contente com os cerca de 120 jovens que frequentam o Pólo do Conservatório de Mú­sica, António Cardoso, juntamente com o presidente da Sociedade Musical esperam alargar ainda o nú­me­ro de praticantes “recrutando alunos noutros concelhos vizinhos”.
No decorrer do “porto de honra”, o presidente da Junta de Freguesia de Vieira do Minho recordava que o CCL está aberto todas as se­­gundas-feiras das 11 horas ao meio dia e às terças e quartas-feiras há sessões de ginástica.
Recorde-se que as casas do povo foram criadas pelo Decreto-Lei n.º 23 051 de 23 de setembro de 1933, foram extintas nos pós 25 de Abril. A casa do povo era um or­ganismo corporativo, dotado de per­so­nali­dade ju­rí­dica, desti­nan­do a colaborar no desenvol­vi­mento eco­nómico-social e cultural das comunidades locais, e a assegu­rar a representação pro­fis­sional e a defesa dos le­gí­timos interesses dos trabalhadores agrícolas. As casas do povo assu­miram, tam­bém, a função de realizar a previdência social de to­dos os residentes na sua área de atuação. A de Vieira do Minho, tam­bém serviu para sala de cinema nos anos 60 e 70; para comícios políticos do pós 25 de Abril; realização de bailes e ainda sede do Jor­nal de Vieira.
2019-02-27


Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário