Reportagem

“AVE em sucesso” reúne em Vieira do Minho cem docentes

          
“AVE em sucesso” reúne em Vieira do Minho cem docentes

Cerca de cem do­cen­­tes da Comunidade Intermunicipal do Ave (CIM AVE), partici­pa­ram no Encontro “AVE em Su­ces­so! Equipas Multi­disci­plinares - parcerias e sinergias para o su­ces­­so educativo” que decorreu em 10 de Se­tembro no Auditório Municipal de Vieira do Minho.


Este encontro inserido no Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar (PIICIE do Ave), com medidas e projetos de combate ao insucesso es­co­lar tais como: Litteratus; Hypatiamat; Ter ideias para mudar o mundo; Escolas em­­­preendedoras In.Ave; Curtir Ciência plano para as ciências experimentais; Pla­taforma+Cidadania; Edu­cação Parental; Salas de aula do futuro; que servem de complemento e de re­for­ço à política educativa públi­ca proporcionou momentos de reflexão crítica sobre a articulação dos diferentes atores educativos na promoção do sucesso escolar e a partilha de boas práticas do trabalho desenvolvido pelas Equipas Multi­dis­ci­plinares nos diversos ter­ritórios. Contou com o pre­­­sidente da Câmara Mu­ni­cipal, António Cardoso que deu as boas-vindas aos do­­centes, de Raúl Cunha, pre­­sidente da Câmara de Fa­fe e presidente da Comu­ni­dade Intermunicipal do Ave, de Jorge Nunes, vogal executivo da Comissão Di­re­­tiva do PO Regional NOR­­­­TE 2020, de José Ver­das­ca, coordenador da EM-PNP­SE, de José Maria Azevedo, CCDR-N, de José Ma­­­­­­tias Alves e António Bap­tista, ambos da Universidade Católica Portuguesa.
No primeiro painel “Con­tri­­­butos para o desenvolvimento de uma estratégia re­gional para a promoção do sucesso educativo”, os pa­les­trantes defenderam que a grande preocupação dos territórios do Ave é a me­lho­ria da qualidade de aprendizagem dos alunos, “desí­gnio premente de cada comunidade educativa” e lançaram os desafios da con­tínua do programa de redução das taxas de retenção e abandono escolar pre­co­ce; melhoria da qualidade das aprendizagens na área do Português nos primeiros anos de escolaridade e das competências básicas de li­te­racia numérica aos 15 anos de idade; promoção de formação contínua de qua­li­dade de professores. A progressiva redução de fre­quên­­cia escolar (me­nos 1904 alunos do ensino bási­co e 2008 do ensino se­cun­­­dário), foi outra preo­cu­pa­ção anunciada no encontro que teve da parte da tarde workshops temá­ticos.
Paulo Silva, coordenador da equipa multidisciplinar de Vi­eira do Minho fez a re­fle­­xão do encontro: A di­ver­­si­dade dos proje­tos apre­sen­tados e partilhados evidenciam a importância do PII­CIE e das Equipas Multi­dis­ciplinares no com­ba­­­te ao in­su­cesso escolar. A investi­ga­­­ção nas ciências da edu­ca­­­ção e as práticas desen­vol­vidas no terreno têm vindo a de­mostrar que o com­ba­te ao insucesso es­colar pressupõe uma abordagem global e integrada na escola. Ao nível de um ter­ritório co­­mo um município, há con­jun­­­to de problemas trans­ver­­sais, cuja resolução justa e eficaz implica, também, transver­sali­dade de respostas. As Equipas Multidis­ci­pli­na­res podem construir pon­­tes que in­terliguem os pro­je­­­tos edu­cativos municipais com os das escolas ou agrupamentos. Nesse sen­ti­do também podem ter um pa­pel char­neira, pois no de­sen­volvimento da sua ação as Equipas Multidiscipli­na­res são complementares e re­forçam as políticas públicas integradas, promovendo a ar­ti­culação dos dife­ren­­­tes agentes educa­tivos e uma maior interação entre os serviços educa­tivos do mu­nicípio e os parceiros edu­­­­cativos locais.
Partindo do princípio da edu­cação inclusiva de que to­dos os alunos devem ter opor­tunidades iguais de acesso a serviços de quali­da­de que lhes permitam al­can­­çar o sucesso, as Equipas Multidisciplinares devem corresponder com um con­junto de serviços edu­ca­­­­ti­vos especializados que responda às necessidades do aluno com o fim de ma­xi­­­­­mizar o seu potencial de aprendizagem.”
2019-09-16


Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário