Reportagem

Para condenar, não me chamem…

          
Para condenar, não me chamem…

Após 22 anos de trabalho dentro de uma prisão ainda me pergunto: que falta faz um padre na prisão? Tal­vez seja necessário responder antes a uma outra: para que serve a prisão? O sistema prisional devia ter dois objetivos fundamentais: proteger a sociedade de condutas criminosas e proporcionar aos reclusos uma hipótese de reabilitar as suas vidas. Devíamos, por isso, implementar medidas pedagógicas de so­cia­bilização tais como a re­leitura da história pessoal, a aquisição de competências de trabalho, a restauração de laços afetivos, a im­plementação de terapias de combate a doenças como o álcool, drogas e outras adições bem como proporcionar um caminho espiritual de redescoberta de valores da vida em so­cie­dade.


O estado actual das prisões é descrito pela antro­pó­loga Catarina Fróis, no seu livro Prisões, como: “não dissuade a crimina­li­dade, não serve de exemplo para o infractor, não re ...

A sua assinatura expirou, ou não está autenticado!
Escolha agora uma assinatura; ou se é assinante, autentique-se para ler artigo completo.

Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário