Destaques

LOUREDO

O CAT- Centro de Acolhimento Temporário Rebelo Duarte, em Louredo, inaugurado em 22 de Maio de 2004 pelo então ministro da Segurança Social e do trabalho, de Bagão Félix, encerrou as portas no passado mês. O encerramento desta valência da Santa Casa da Misericórdia de Vieira do Minho que teve o acordo da Segurança Social de Braga deve-se à diminuição de crianças e jovens em situação de risco, entretanto encaminhados para a instituição. A lotação (20 camas) chegou a esgotar.
Com 8 crianças referenciadas pela Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) e/ou encaminhadas pelos Tribunais de Familias e Menores, e com probabilidades de cada vez mais diminuírem, não era sustentável, pelo que foi dedicido o seu encerramento.


Mercado da Castanha de 10 a 12 de Novembro

Organizado pelo Município de Vieira do Minho, decorre de 10 a 12 de Novembro a nova edição do Mercado da Castanha.
São três dias de festa onde não vão faltar, as castanhas, os produtos locais das colheitas de Outono e ainda os hortícolas, frutícolas, feijão amarelo, abóbora, broa caseira, compotas, doces à base da castanha, enchidos, tudo com muita animação.
Durante os dias do mercado terá lugar o magusto tradicional, as VI Jornadas Micológicas, e as tradicionais chegas de bois.


D. Manuel Martins, um bispo defensor da dignidade da pessoa humana

As exéquias de D. Manuel Martins, bispo emérito de Setúbal, realizaram-se na tarde do dia 26 de Setembro, no mosteiro de Leça do Balio, presididas pelo actual bispo de Setúbal, D. José Ornelas, perante uma assembleia de mais de 3 mil fiéis.
O grande Mosteiro de Leça do Balio, com as suas três naves, foi literalmente pequeno para receber os mais de três mil fiéis, amigos e desconhecidos, que tiveram de preencher os espaços exteriores do templo, onde um forte sol se fazia sentir o “Sol da nova esperança” que D. Manuel amava e tantas vezes anunciava. Dentro da igreja estavam 25 bispos e 160 presbíteros e diáconos; os familiares de D. Manuel Martins; o coro e algumas entidades e individualidades. Entre estas, de destacar o antigo Presidente da República, Ramalho Eanes e Manuela Eanes, Eugénio da Fonseca, presidente da Caritas Portuguesa, e o presidente e vereação da Câmara Municipal de Matosinhos.


Párocos recorrem ao “Auxilia”

Na sua reunião mensal de Setembro, os párocos do arciprestado de Vieira do Minho mostraram-se preocupados, no seu trabalho pastoral, especialmente com os problemas suscitados nos Centros Sociais Paroquiais, e vão recorrer à ajuda do departamento “Auxilia” da arquidiocese de Braga.
A programação do encerramento do Centenário das Aparições de Fátima e da visita da Imagem Peregrina ao Concelho de Vieira do Minho foi outro dos temas versados na palestra do clero. Este encerramento será no dia 14, com a inauguração de um Monumento Comemorativo do Centenário à entrada da Vila, na Rotunda junto ao quartel dos Bombeiros, com a benção das imagens do Sagrado Coração de Jesus e Imaculado Coração de Maria, pelas 20,30h, seguindo-se uma procissão de velas até à igreja da Vila. Aí será celebrada pelo bispo auxiliar de Braga, D. Francisco Senra, a Eucaristia de Acção de Graças e a consagração do Concelho ao Imaculado Coração de Maria.
Os sacerdotes foram ainda informados da necessidade de renovar os Conselhos Económicos Paroquiais, cuja provisão canónica caduca em Dezembro de 2017, devendo os novos membros ser apresentados nos Serviços Centrais da diocese até finais de Novembro.


Sócrates acusado de 31 crimes e de receber 24 milhões em luvas

O Ministério Público deduziu acusação contra 28 arguidos em despacho final da Operação Marquês.
Sócrates é acusado de 31 crimes e de ter ganho 24 milhões de euros na Suiça, de forma ilegal, através de um esquema que mascarou dinheiro vindo dos grupos Lena, Espírito Santo e Vale do Lobo, anunciou em comunicado a Procuradoria Geral da República (PGR) na manhã de 11 de Outubro. José Sócrates está acusado de 31 crimes: três de corrupção passiva, 16 de branqueamento de capitais, nove de falsificação de documento e três de fraude fiscal qualificada.  


CANIÇADA

No final da Eucaristia Dominical de 24 de Setembro, foi benzida a Capela Mortuária de Caniçada pelo pároco P.e Luís Jácome e posteriormente inaugurada pelo presidente da Câmara Municipal e presidente da Junta União de Freguesias Caniçada/Soengas, respectivamente, António Cardoso e João Rocha.
A construção, que se prolongou por mais de meia década, conheceu vários projectos e teve de ser transferida da ala sul do adro da igreja paroquial para o lado do cemitério. A obra, financiada na totalidade pelo Município de Vieira do Minho, teve um custo de 150 mil euros: 125 mil euros (só o edifício) aos quais se juntam mais 25 mil gastos nos arranjos exteriores.
Dispõe de uma sala para o velório, com amplas vistas paisagísticas, uma sala de apoio, copa e instalações sanitárias.