Do Cávado ao Ave

RUIVÃES

Como eu o vi este ano

Mais umas férias se passaram, o mesmo que dizer tempo de convivência, do regresso às origens e acima de tudo a tomada de conhecimento do que novo há pela nossa vila.
Há obra feita, sim senhor, traduzida nalguns melhoramentos e alguma inovação, como há também aprovação por uns e contestação por outros sobre o que foi feito (ou se está a fazer).
Em Ruivães – e não só, já que se trata de uma enfermidade nacional – é apanágio da nossa gente reclamarem porque não se faz, mas quando se faz as opiniões divergem, uns acham bem outros contestam, mas só aí opinam como devia ter sido feito.
É um facto que é difícil agradar a gregos e troianos, mas o tempo que é bom conselheiro, acaba por levar ao esquecimento e mais não se diz.
Eu já fui critico nestas páginas que o Jornal de Vieira me põe à disposição -já lá vão mais de vinte anos -, mas foi sol de pouca dura, porque ao apontar o que de mal havia na vila, fui acusado de estar a–“dizer mal da terra”, ainda que a crítica fosse construtiva. Foi então que me dediquei a outro tipo de escrita, sempre versando Ruivães, mas enaltecendo os usos e costumes da terra, as tradições que a minha memória gravou, as gentes que o tempo não fez esquecer, em suma; a minha vivência em Ruivães, que me leva às décadas de quarenta e cinquenta do século passado.


GUILHOFREI

Por onde passa, Guilhofrei faz festa!

Resolvemos, e como é nosso timbre, e para respeitar a tradição fomos à ladra!
Chamamos à baila, quisemos relembrar o oficio do tamanqueiro, figura muito típica e querida desta terra e num assomo de energia em que já provamos que somos fortes, sentamo-lo num banco e confiamos-lhe a tarefa de nos representar. O resto foi fácil, animados pelo grupo de concertinas de Guilhofrei, onde sobressaiam dois jovens principiantes, cheios de força anímica e a demonstrar já algum traquejo nestas andanças (e que tiveram o prazer de acompanhar o presidente da Câmara numa tocata) o que dá para entender que dali vão sair mestres, juntou-se um grupo de pessoas bem-dispostas e cientes do seu dever, orgulhosos por representar a sua terra.


PARADA DE BOURO

Águas coloridas

Um ano depois do previsto (setembro de 2016), os trabalhos do projecto do descarregador de cheias complementar na albufeira de Caniçada ainda não têm data para a sua finalização.
Caso estranho nos últimos dias a coloração do espelho d’ água de um azul esverdeado e ainda os excessivos ruídos com os rebentamentos e movimentação de viaturas que não deixam descansar quer de dia quer de noite os moradores próximos do paredão da barragem.


VIEIRA DO MINHO

CDU subiu no concelho

Numa nota enviada à nossa redacção, o mandatário pela Coligação Democrática Unitária, José Manuel Martins, congratula-se pela forma cívica como decorreu a campanha e o acto eleitoral, e a forma “activa que a sua equipa teve apesar das insuficiências materiais, humanas e técnicas”.
O mandatário releva a melhoria na votação para a Câmara, mais 58 votos do que em 2013 e Assembleia Municipal mais 18, enquanto para as Assembleias de freguesia “estiveram ao nível das expectativas”, excepto na Ventosa/Cova.


ANJOS/VILARCHÃO

Desfolhada e música na Feira da Ladra

A junta de União de Freguesias voltou a participar no cortejo etnográfico da Feira da Ladra apresentando uma tradicional desfolhada. “Trabalho com alegria. Danço com prazer”, slogan usado no carro alegórico que pretendia mostrar aos mais novos o processo da ceifa e recolha do milho.
Não faltou como era hábito no final dos trabalhos a merenda (presunto, pão e vinho), distribuído pelo Rancho Mocidade dos Anjos aos forasteiros que lotavam os passeios desde o Centro Escolar até à entrada do Parque Florestal.


PINHEIRO

Autárquicas

A Coligação PSD/CDS-PP ganhou as eleições em Pinheiro, por margem clara, reelegendo assim a Junta em funções desde há 4 anos presidida por António José Lopes, Regina Constância Mendes, secretária, e Eduardo Vieira Batoca, tesoureiro, e que por certo continuará Adelino Costa Teixeira como presidente da Assembleia de Freguesia apurando-se o resultado de 214 (PSD/CDS) e 119 (PS) para a Assembleia de Freguesia, Câmara Municipal 220 (PSD/CDS) e 109 (PS) e Assembleia Municipal 212 (PSD/CDS) e 100 (PS). A pinheirense Neli Mota Pereira, continuou a merecer o maior número de votos dos pinheirenses. Parabéns a todos os reeleitos e continuação de bom trabalho.



LOUREDO

CAT fecha portas

O CAT- Centro de Acolhimento Temporário Rebelo Duarte, em Louredo, inaugurado em 22 de Maio de 2004 pelo então ministro da Segurança Social e do trabalho, de Bagão Félix, encerrou as portas no passado mês. O encerramento desta valência da Santa Casa da Misericórdia de Vieira do Minho que teve o acordo da Segurança Social de Braga deve-se à diminuição de crianças e jovens em situação de risco, entretanto encaminhados para a instituição. A lotação (20 camas) chegou a esgotar.
Com 8 crianças referenciadas pela Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) e/ou encaminhadas pelos Tribunais de Familias e Menores, e com probabilidades de cada vez mais diminuírem, não era sustentável, pelo que foi dedicido o seu encerramento.


EIRA VEDRA

Festa da Senhora do Rosário

Na primeira semana de setembro ocorreram nesta freguesia as tradicionais festas em honra da Senhora do Rosário. As mesmas foram precedidas de preparação religiosa com celebração da eucaristia e recitação da oração do terço. Uma procissão de velas, que percorreu a rua da Igreja e parte da Avenida Dr. Almeno Leite, até à rotunda do Centro Escolar Domingos Abreu, com o andor da Senhora do Rosário, realizou-se no dia 8 de Setembro, dia da Natividade de Nossa Senhora. A Missa Dominical no dia principal das festividades, foi solenizada pelo Grupo Coral da paróquia de S.Paio.


SOUTELO

Reparação de via municipal

Nestes últimos dias têm decorrido em velocidade cruzeiro, a reparação do piso da estrada municipal EM-600, principal via de acesso a esta povoação. Diga-se em abono da verdade que a obra há muito tempo se impunha dado que o seu estado se encontrava bastante degradado devido às obras da distribuição da água ao domicilio e às condutas do saneamento aí colocadas.
O arranjo em causa vem beneficiar não apenas Soutelo como também as outras freguesias que se encontram no seu trajecto até Vieira do Minho como é o caso de Anissó. É bom que quem manda se lembre destas populações do interior ao menos quando há necessidade de recorrer ao voto. Para que conste aqui fica o registo.