Do Cávado ao Ave

RUIVÃES

Alexandre, “o mudo de Vale”

          

De seu nome Alexandre Luís Pereira de Oliveira, es­ta figura singular de Rui­vães, foi durante a sua vida vítima de uma grande infeli­cidade, que era a sua defici­ência, o que lhe valeu ser tolerado por alguns, mas mal amado por muitos para quem era apenas o “mudo de Vale”.
Eu tinha apenas menos oito anos que ele, e vivi o tempo em que ele divertia as pessoas quando aos do­mingos após a saída da missa e a troco de uma moe­­da subia a escadaria da casa sobranceira à fonte, passava para a varanda e dali imitava o sr. Abade no púlpito no sermão dominical.
O pessoal delirava,riam-se a bandeiras desprega­das, mas a mim metia-me pe­na não ele, que coitado não discernia, mas as pessoas que o incentivavam e o levavam a cometer o que eu na base da minha já formação religio­sa, considerava um pecado.
Outros, pagavam-lhe bebidas {que como é evidente o transtornava) até ao pon­to de o verem embria­ga­­­do e nisso verem mais uma forma de divertimento.


Lembro-me de um dia na festa de S. Bartolomeu, tol­dado pelo álcool, chorava como um perdido e foi refugiar-se debaixo da pista de carrinhos de choque com eles em movimento, o que ...

A sua assinatura expirou, ou não está autenticado com o seu login e password!
Clique para escolher uma assinatura; ou no caso de já ter uma assinatura por favor autentique-se com o seu login e password.


Comentários

Comentar esta notícia

Nome

Email

Comentário


Verificação de palavras
Escreva os caracteres que vê abaixo
D93NJ


    

Ainda ninguém comentou esta notícia!