Igreja

Novo ordenamento jurídico do Vaticano

O Governo do Estado da Cidade do Vaticano (Santa Sé) tem a partir de sete de Junho um novo ordena­men­to jurídico, aprovado pelo Papa Francisco em Dezembro de 2018, visando mais transparência e simplicidade na instituição.
Francisco explica que, desde o início do seu pontificado (Março de 2013) sentiu a necessidade de uma “reor­ganização geral” do Go­verno do Estado da Ci­da­de do Vaticano para melhor responder “às exigências actuais” e continuar a ga­rantir “independência absoluta e visível” da atividade da Santa Sé e do Papa, no plano internacional.


A liturgia é um “elemento central” da evangelização

No Dia Diocesano da Li­turgia, o Cardeal-Patriarca de Lisboa apresentou a li­turgia como o centro da ação evangelizadora da Igreja. Para o D. Manuel Cle­­mente, a liturgia “não es­tá ao lado da evangeliza­ção”, antes pelo contrário, “é um dos elementos centrais”.



Vicentinos elegem novo Conselho Central

António Barbosa Pereira tomou posse como novo pre­­si­dente do Conselho Central de Braga da Sociedade de S. Vicente de Paulo, substituindo António Ro­drigues.
Presidiu à cerimónia, que decorreu na Igreja de S. Pau­lo, em Braga, D. Jorge Or­­tiga, que manifestou o desejo da criação de novas conferências vicentinas na Arquidio­ce­se e que as mesmas alarguem os horizontes, com ca­ras novas e novas causas. A Arquidiocese de Braga tem 502 paróquias e são menos 100 as que têm conferências de S. Vi­cente de Paulo.


D. Jorge Ortiga crismou 59 jovens em Vieira do Minho

Apelou à sua integração nas paróquias

Na tarde da vigília de Pen­­tecostes (8 deJunho), a igreja paroquial de Vieira do Minho encheu-se de fiéis para acompanhar 59 jovens, de dez paróquias do arciprestado de Vieira do Minho, que na conclusão, “com aproveitamento”, dos dez anos do itinerário de catequese, pediram ao seu catequista e respectivo pároco para ser confirmados na fé da Igreja.
Presidiu à Eucaristia, concelebrada por 7 párocos do arciprestado, o arcebispo da Arquidiocese, D. Jorge Costa Orti­ga, que após a chamada e apre­sen­tação dos crisman­dos pelo P.e Fernando Ma­cha­do, res­pon­sável do ser­vi­ço pastoral da Educação da Fé, e da ho­milia da missa, administrou a estes jovens o sacramento da Confir­mação.


Peregrinação das crianças a Fátima

Milhares de crianças, acompanhadas de seus ca­tequistas, pais, avós e outros peregrinos, participaram na grande Peregrinação Nacional das crianças a Fátima nos dias 9 e 10 de Junho. Entre elas estiveram algumas dezenas de várias paróquias do arcipres­ta­do de Vieira do Minho, re­pre­sentado pelo pároco de Pa­rada de Bouro e Soen­gas, Padre Fernando Euri­co.
O presidente da Pere­gri­na­ção D. Armando Esteves Domingues, convidou os participantes a fazer um “can­tinho da oração” em ca­da casa, construindo um “espaço especial”, como é a Capelinha no recinto do Santuário.
“Precisamos de um espaço especial, como é esta Ca­­pelinha, para rezar nas nossas casas”, disse o bispo auxiliar do Porto na ho­milia da Missa, no recinto de oração preenchido com grupos de crianças de todo o país.


Sacerdotes sensibilizados sobre o Pré-Seminário

O clero do arciprestado de Vieira do Minho, na sua ha­bi­­tual palestra mensal, re­­fle­tiram sobre a proble­má­­­­­tica vocacional, a partir da estrutura arquidiocesana do pré-seminário e sobre a “Obra dos Santos Anjos” apre­sen­tada pelo Padre Elia da Congregação da Santa Cruz.
O Pré-Seminário e seu fun­­­­cionamento, em ligação com o departamento pastoral vocacional, foi apresen­ta­do pelo P.e Mário Rodri­gues, da equipa de forma­do­­res do Seminário Menor da Arquidiocese de Braga.



Diaconisas não ordenadas

Frequentemente procuro via Internet, no sítio do Va­ti­ca­no ou da Agência Ecclesia, as notícias que não nos che­gam através doutros meios, ou colhemos muitas vezes de­­tur­padas, devido à falta de formação religiosa/dou­trinal de muitos jornalistas.
Em 07 de Maio passado, a Agência Ecclesia dava notí­cia de afirmações do Papa Francisco sobre o trabalho de inves­ti­gação e reflexão da comissão, que em 2016, en­car­­re­gou de estudar a eventualidade de instituir um dia­co­nado feminino.
O resultado foi inconclusivo. Perante as dúvidas apre­sen­tadas, o Papa recomendou a continuação do estudo, conduzido por teólogos e teólogas de vários países, recu­san­do a hipótese de mudança imediata.
Como leiga insignificante, numa Igreja que o Espírito San­to, tão sabiamente guia e governa, posso ter a minha opi­nião e a liberdade de a expressar, o que faço com segu­ran­ça, dada pela certeza de saber obedecer sem dificulda­de, ao que professo no Credo.