Do Cávado ao Ave

RUIVÃES

Sentir Espindo!

          
RUIVÃES

Perante a evolução favorável da pandemia de Co­vid-19, resultante das medi­das tomadas ao abrigo do estado de emergência, e em linha com o plano fa­sea­do de desconfina­mento, en­ten­de-se contudo que deve imperar a cautela, salvaguardando todas as precauções associadas!
Porém, em abril é mês de ode à poesia da natureza na Serra da Cabreira. Tal noiva vaidosa, desejosa de ser contemplada, a serra ves­te-se de várias cores num es­pe­táculo deslum­bran­te digno de se ver.


Locais privilegiados para contemplar esta paisagem, as­sinalada pela minha “ca­ne­ta”, são mesmo os montes da Costa ao Talefe, pas­san­­do pela Arandosa, Bor­doa­da de Jadêlo, Serr ...

A sua assinatura expirou, ou não está autenticado!
Escolha agora uma assinatura; ou se é assinante, autentique-se para ler artigo completo.

Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário