Opinião

Bucos e o Museu - “a casa de lã”

          

Recentemente, através do livro “Vieira do Mi­nho: Notícia Histórica e Descritiva” edição fac-simile da edição de 1925, da autoria do Pe. João Carlos Alves Vieira foi-me possível re­fletir a conjuntura do tempo em que o mesmo viveu e a for­ma como a descreveu, que considero surpreendente pela sua con­cretização e objectividade. No capítulo “Vieira Indus­trial” (pag.100), o autor considera que é em Agra, freguesia de Rossas, onde se situa a primeira fábrica do Ave “o cha­ma­­do Pisão”. Descreve-o numa “casa modesta, escondida en­tre ramaria e sepultado lá no fundo de um esconderijo, para on­de se desce por um atalho estreito e mal ajeitado, mas que tem reunido mui­tos contos de rei”. No Pi­são faziam-se prin­cipalmente as “mantas de lã de ovelha do concelho”, mas também se faziam outros trabalhos, co­mo a preparação de “excelente burel para roupa de vestir, polainas, ca­pu­chas, etc. Eram bastantes as operações por que passava a lã até tomar a forma de lã”.


Além do Pisão de Agra, havia um outro na freguesia dos An­jos. Diz ainda que era possível que houvesse mais no con­celho, o que dá a entender não ter indicação concreta de outras e ...

A sua assinatura expirou, ou não está autenticado com o seu login e password!
Clique para escolher uma assinatura; ou no caso de já ter uma assinatura por favor autentique-se com o seu login e password.


Comentários

Comentar esta notícia

Nome

Email

Comentário


Verificação de palavras
Escreva os caracteres que vê abaixo
EUDLF


    

Ainda ninguém comentou esta notícia!