Política

Continuidade ou mudança?

          

As duas palavras mais vezes repetidas neste verão, tem sido “continuidade” e “mudança”.
Se para uns são expressão duma convicção, para muitos infelizmente, são o papaguear imposto pelas circunstân­cias e interesses.
O tempo de eleições é um tempo oportuno de cada um se conhecer melhor. Quantas questões devemos colocar à nossa consciência!
A construção da democracia, exigência que só termina pa­ra cada indivíduo, quando morre, ou se torna incapaz pe­la doença, é um dever cívico, que não exclui ninguém.


A abstenção em eleições, revela a má formação cívica e moral de quem fica comodamente em casa. Não limpamos a consciência condenando os abstencionistas. Antes devía­mos assumir que ...

A sua assinatura expirou, ou não está autenticado!
Escolha agora uma assinatura; ou se é assinante, autentique-se para ler artigo completo.

Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário