Reportagem

Assembleia Municipal

Maioria PSD/CDS rejeita proposta do PS no apoio a empresas

          
Assembleia Municipal

Com 22 votos contra e 2 abstenções a As­sem­bleia Municipal reunida no dia 29 de Maio, no Auditório Municipal, chumbou a proposta do Partido Socialista de apoio a microempresas e às PME do programa “ADAPTAR”.


A recomendação avançada por Pedro Pires que pretendia que o Município assumisse as despesas em 20% nas microempresas do con­ce­lho, en­quan­to a taxa de incentivo é de 80% pelo que os empresários benefi­ciariam de uma subenção total. O PSD/CDS surpresos com a proposta argu­men­tou: “fomos proa­­­ctivos no combate ao Covid-19 e no apoio e acompanhamento a todos os vi­ei­renses. Nesta recomendação não se saberia o cus­to do orçamento para o Município. Era um voto no escuro, um cheque em branco”.
Os sete membros do par­ti­do socialista, que queriam ver a proposta anterior apro­­vada, abstiveram-se e votaram contra as delega­ções de competências nas juntas e uniões de fre­­gue­sia, apresentando de­cla­ra­ções de voto: “por fal­­­ta de obras orça­menta­das; falta de fundamentação; in­su­ficiência nos documentos; por uma questão de coe­­rên­cia”. Esta atitude dos so­cia­listas irritou o pre­si­dente da junta de Louredo que abandonou o Auditório a meio da sessão. O presidente da Câmara defendeu que “os orçamentos são pre­­­vi­sões de custos e não há nenhuma obra sem uma fa­tura e sem que os técnicos ve­rifiquem se a obra está em conformidade”.
Na ratificação do despacho sobre isenções exce­cio­nais no âmbito do Covid-19, o debate voltou a aquecer com Cristiano Pinheiro do PSD, a parabenizar o Muni­cí­pio pelas medidas imple­mentadas, nomeadamente no IRS e Pedro Pires a congratular-se com a “medida que sempre defendemos e que não é uma medida só pa­ra os ricos como o presidente dizia. A Câmara tomou esta medida por uma pro­paganda política. Deram o braço a torcer”. O deputado socialista leu um email en­viado à Câmara com me­di­das propostas pelo PS e queixou-se das constantes violações do regimento acer­ca das intervenções do senhor presidente da Câmara”.
Neli Pereira reconheceu que é urgente alterar o regi­mento para uma maior res­ponsabilização na utilização dos tempos de in­ter­ven­ção, “mas não podemos olhar com lentes iguais para si­tuações diferentes”. Antó­nio Cardoso disse que não toma medidas por causa das eleições, ninguém o viu a distribuir material de pro­­teção do virus junto dos es­tabelecimentos e que “não vamos inaugurar a Es­co­la antes das eleições, mes­mo que esteja pronta. Quanto às medidas que propunham já estavam no ter­re­no. Quando vocês vêm, nós já lá vamos.”
Na sessão à porta fechada que terminou já no dia 30 de Maio, o período antes da ordem do dia começou com um minuto de silêncio em homenagem ao ex-presidente da Câmara, Augusto Abreu Dantas, fale­cido em finais de Abril.
Cristiano Pinheiro congratulou o Município por ser o primeiro do distrito na ilu­minação led, na forma co­mo comemorou o 25 de Abril e no âmbito da pre­ven­­ção e combate ao Covid-19, nomeadamente com os testes serológicos adquiridos, “tão criticados pelo PS”. Quis saber ainda do “ba­­lanço das obras na EBS”.
Elsa Teixeira do PS “en­contramo-nos num espaço que tem assinatura do PS. Não se deve culpar o passado. Há dois tipos de pessoas, os que culpam e os que tem o foco no presente e no futuro. Culpar o passado é perder o presente”, disse.
Pedro Pires felicitou a ACR de Guilhofrei pela su­bi­­da à divisão de honra e in­terpelou o presidente da Câ­mara pelo “estado lastimoso do campo de treinos do Vi­­­eira SC”. Congratula-se com a renovação do parque florestal “após birra” e acha estranho o prazo de prorrogação de 3 meses nas obras da EBS Vieira de Araújo. Es­­tá muito satisfeito com Vi­eira do Minho no turismo rural, tornando-se o 1º no distrito.
Luís Pereira PSD, contente com o desempenho da Au­tarquia no combate ao Covid e no empenho no parque florestal”, sugerindo que o projecto vá até ao rio. Per­­guntou pela 2ª fase da “re­generação” da Vila e la­men­tou que o concelho não prestá-se “o reconhecimento a Augusto Dantas pelo tra­­balho honrado do vi­ei­rense”.
Paulo Silva do PSD, considera a serra da Cabreira uma arca de tesouro e lançou o desafio para que haja maior classificação e divulgação deste património único. “Oferta cultural e de atra­­­­ctividade a Vieira do Mi­nho”.
O presidente da junta de Lou­redo, “chocado com o van­­dalismo na sua freguesia”, agradeceu ao presidente da Câmara a obra que fez na rua das Veigas e reclamou mais atenção aos ex-com­batentes. “Fomos obrigados a ir para a guerra”, disse.
O presidente da junta de Parada de Bouro, pediu que a Altice coloque fibra óptica no lugar de Pandoses e agra­deceu às pessoas para­denses “que fabricaram cerca de 700 máscaras, bem como à Câmara pela oferta de mais 100”.
António Gago do PSD, con­gratulou-se pelo Muni­cí­pio não restringir a sua atenção no combate ao co­vid, mas também no trabalho de potenciar o concelho no turismo como nas várias publicações, “10 motivos pa­­­ra visitar Vieira do Mi­nho”.
O presidente da jun ta de Ros­sas, agradeceu o apoio da Câmara à freguesia mais afetada no concelho com o Covid, bem como a reati­va­ção da rede dos transportes. Pediu a reabertura da ex­ten­são do Centro de Saúde na sua freguesia.
Vânia Cruz do PS, disse acreditar nos projetos polí­ti­­­­cos e que em Vieira do Mi­nho há quem não esteja preparado para viver com a crítica.
O presidente da Câmara res­pondeu às interpelações, começando pelas obras na Es­cola que “decorrem em bom ritmo e o campo de trei­­nos é o espaço do aterro da obra.” Quanto ao parque florestal vai ter uma fa­se con­­tínua e a casa florestal será requalificada em breve.
António Cardoso avançou que vai isentar os estabelecimentos da restauração da taxa de água e saneamento até ao final de 2020 e vão avançar as obras junto ao coreto e o acesso à feira pela rua João de Deus.
Dirigindo-se à vereadora Aurora Marques agradeceu-lhe o reconhecimento que teve numa reunião da Câ­mara relativamente ao tra­balho do Executivo no combate ao Covid. Satisfeito com a promoção e divul­ga­ção do concelho na área do turismo, anunciou para bre­ve a colocação de uma pe­dra na nascente do rio Ave “assinalando a lenda da serra da Cabreira”.
Texto e fotos: Zé Maria
2020-06-15


Comentários

  Comentar artigo

Nome

Email

Comentário